domingo, outubro 15, 2006

Comida no Maria Matos


Hoje é o dia que marca o fim da rentrée, depois do Verão, do Teatro Municipal Maria Matos. The Pillow Man e Comida foram as apostas de qualidade para o sucesso dos meses de Setembro e Outubro. Sobre a primeira peça de teatro já escrevi duas críticas onde procurei expressar a minha admiração pelo espectáculo. Aproveito a oportunidade para escrever sobre Comida (podia fazer agora um gracejo com um prato de culinária, mas não é esse o meu propósito).
Comida é um monólogo que gira em torno de pequenos trocadilhos bastante subtis que se tornam mais presentes à medida que caminham para o fim. Esses trocadilhos provocam-nos risos pela consciência que nos impõem das inúmeras interpretações que pode ter uma única frase. Miguel Castro Caldas parte de alguns bons exemplos e cria um monólogo divertido e simultaneamente denso. Aliás, a palavra que melhor descreve o estado de espírito do espectador é: concentrado. Torna-se mentalmente cansativo acompanhar o estonteante ritmo de Gonçalo Waddington, o intérprete e encenador. Impressionante a forma como Gonçalo se apresenta no andar de cima do teatro meia hora depois de protagonizar uma peça de teatro tão exigente com The Pillow Man. Extremamente relaxado, Gonçalo demonstra mais uma vez que é um actor de eleição e um notável contador de histórias.
Esta representação teve lugar no mm Café que é um espaço aberto ao público em geral (não é preciso assistir a um espectáculo para o frequentar) e impõe-nos a vontade de regressar muitas vezes. Na sexta-feira passada, estava sentado ao meu lado o Diogo Infante (Director Artístico) e foi notório o seu entusiasmo com a elevada afluência de público no Teatro, ou a assistir a peça The Pillow Man ou a frequentar o mm Café. E como eu não me canso de aplaudir os profissionais que elevam os padrões da arte nacional, felicito o Diogo Infante pelo extraordinário trabalho que tem desempenhado como director artístico.

3 Comments:

Blogger iLoveMyShoes said...

:) Também gostei muito da Comida, sobretudo pelo talento do Gonçalo! É bom ver bom teatro, não é?

12:30 da manhã  
Blogger Laranja com Canela said...

Engraçado. Também lá estive nessa sexta-feira. Adorei a interpretação do Gonçalo W. e o texto é intenso, especialmente o modo como termina, deixa-nos um pouco desconfortáveis.
O Diogo Infante também está de parabéns por dar vida a um espaço que estava um pouco parado. Quando se fazem coisas com qualidade o público adere.

12:50 da tarde  
Blogger Caracol Amarelo said...

Também tive o prazer de assistir a The Pillowman e a esse fantástico monólogo.
No entanto é-me estranho que tenha achado Comida um monólogo divertido. Intenso, concordo. Mas sobretudo perturbador, no sentido de remexer nos nossos quotidianos. Sem querer fazer comparações de chapa, lembrou-me Berlot Brecht. Interpretações diferentes, suponho. O Gonçalo? Brilhante!

Tão bom descobrir este cantinho ;)

Nairobi

1:21 da tarde  

Enviar um comentário

<< Home